Início » Blog » Como se organizar para controlar gastos pessoais? Veja 4 dicas!

Como se organizar para controlar gastos pessoais? Veja 4 dicas!

pessoa usando uma calculadora para controlar gastos

O dinheiro está presente em nossas vidas desde muito cedo. Temos noção desde a infância que precisamos trabalhar para obter poder aquisitivo e sabemos que quando formos adultos seguiremos os passos de nossos pais. O que não aprendemos junto com a ideia de adquirir bens e pagar as contas é como controlar os gastos quando tivermos o nosso próprio salário mensal.

Então é natural que se perca um pouco do controle financeiro quando começamos a trabalhar, estudar e a ter uma vida corrida e cheia de compromissos. Porém, uma hora a conta da desorganização do orçamento chega. E é por isso que no texto de hoje vamos te ajudar a começar a organizar seus gastos. Vem com a gente!

Por que controlar gastos é importante?

Para muita gente, falar e pensar sobre dinheiro não faz parte da rotina. E muita gente até mesmo foge do assunto quando é questionada. No entanto, esse hábito não é nada saudável e pode trazer problemas no futuro.

Perder o controle dos gastos é o primeiro passo para o endividamento. Se você não sabe o quanto entre e o quanto sai de dinheiro, em pouco tempo é provável que esteja devendo para o banco.

Além do risco de estar em débito, fica muito mais difícil fazer planos maiores como comprar um carro, uma casa ou fazer uma viagem incrível. Todos os propósitos que exigem maior investimento acabam por exigir planejamento também.

Quando você começa a controlar gastos, você cria mais consciência e, assim, será mais fácil economizar para poder sonhar cada vez maior.

4 dicas para começar a controlar os gastos hoje mesmo!

Acredite, organizar suas finanças é bem mais fácil do que você imagina. Em um primeiro momento vai parecer difícil reunir todas as informações necessárias, mas, uma vez que você cria o hábito, o processo vira parte da sua rotina.

1 – Anote seus gastos

Não adianta apenas saber quanto de dinheiro entra mensalmente, você precisa saber quanto dinheiro está saindo da sua conta. Portanto, anote tudo o que gasta. E é tudo mesmo, inclusive o cafezinho da máquina do seu escritório.

Você pode fazer isso uma vez por semana, mas se anotar tudo logo após gastar, diariamente, fica mais fácil. As compras feitas no cartão são mais simples de rastrear, mas caso você costume gastar em espécie, o ideal é fazer o acompanhamento diário para não esquecer.

2 – Categorize suas despesas

Uma vez que você começou a anotar tudo, agora é hora de entender o que cada gasto significa. Você pode separar em quatro categorias básicas, mas veja como funciona melhor para você caso queira adicionar mais detalhes:

  1. Despesas fixas: aqueles gastos constantes e que não sofrem alteração frequente de valor. Por exemplo: aluguel, parcela da faculdade, plano de saúde, etc.
  2. Despesas variáveis: são os gastos continuados, mas que podem ser reduzidos se você quiser. Por exemplo: supermercado, telefone, luz, etc.
  3. Lazer: todos os gastos que poderiam ser evitados. Por exemplo: roupas e calçados, restaurantes e bares, compras na internet, etc.
  4. Despesas extras: estes são os gastos que não necessariamente acontecem todos os meses, mas que precisam entrar para a contabilidade quando acontecem. Por exemplo: remédios, gastos com seu pet que ficou doente, impostos como IPVA e IPTU, etc.

Ao separar tudo em categorias, você consegue enxergar quais são os custos essenciais e quais poderiam ser evitados.

3 – Mantenha o controle das compras do cartão de crédito

Um dos piores vilões do orçamento é o cartão de crédito. Isso porque os bancos oferecem limites muitas vezes maiores do que a sua receita e quando você percebe já gastou mais do que o que tem para receber.

Ao anotar os gastos no cartão, separe as compras de débito e crédito, e também as compras no crédito parceladas. Uma coisa importante que as pessoas esquecem é que fazer compras parceladas é uma espécie de endividamento. Afinal, você gastou mais do que tinha de receita no mês e, enquanto não quitar as prestações do cartão, você está devendo para o banco.

4 – Identifique o que pode reduzir ou eliminar

Uma vez que você tenha todos seus gastos mensais anotados, será possível ter um panorama do que pode ser cortado. É bem provável que você irá perceber que as despesas fixas sequer representam a maior parte da sua receita. São os gastos menores e variáveis que tendem a desestabilizar a gestão financeira.

Com uma tabela de controle de gastos em mãos, você pode criar pequenas metas mensais. Por exemplo, se ao analisar o cartão de crédito você percebeu que fez pedidos de tele-entrega quatro vezes no último mês, delimite que no próximo mês irá pedir apenas duas vezes. Se você comprou roupas ou sapatos dois meses seguidos, determine como meta ficar dois meses sem gastar com isso.

Antes de criar metas de quanto guardar por mês ou para investir no futuro, você precisa ter objetivos sobre o quanto não gastar mensalmente.

Quais ferramentas usar para controlar meus gastos?

Se você já está acostumado a mexer com planilhas no computador, você pode criar uma que se molde para o seu planejamento financeiro. Mas caso queira pegar algum modelo pronto, existem diversos para fazer download na internet!

Já se você quer analisar alternativas de aplicativos para fazer o controle todo pelo celular, existem algumas opções bem interessantes:

  • GuiaBolso: a principal funcionalidade deste app é ajudar no planejamento financeiro de forma descomplicada. Tem vários recursos para elencar gastos em categorias e ajuda a estabelecer metas. Caso queira, pode sincronizar com seu internet banking para fazer uma leitura dos dados. É possível usá-lo tanto pelo celular como pelo navegador do computador.
  • Organizze Finanças: fácil e intuitivo, este aplicativo oferece uma versão básica gratuita e outra mais completa que é paga. Além de poder configurar metas e fazer o controle das despesas, é possível colocar alertas de vencimento para contas e cartão de crédito.
  • Mobills: além de te ajudar no controle dos gastos, este app oferece estrutura para criar metas e objetivos financeiros. O plano gratuito é um pouco limitado, mas existem opções avançadas por valores acessíveis.

Com todas as dicas que demos, vai ficar muito mais fácil controlar gastos! Baixe os aplicativos, faça testes, e nunca mais se perca nas finanças pessoais!