Início » Consórcio » Como funciona uma carta de crédito e o que fazer para conquistar a sua!

Como funciona uma carta de crédito e o que fazer para conquistar a sua!

como funciona uma carta de crédito

Carta de crédito, ao lado de contemplação, sorteios e lances, está entre os temos que chamam a atenção quando começamos a pesquisar sobre consórcio. Por isso, preparamos um conteúdo especial para ajudar você a entender melhor como funciona uma carta de crédito e o que fazer para conquistar uma.

O que é uma carta de crédito?

É bem provável que a carta de crédito tenha sido uma das primeiras coisas a aparecer em suas pesquisas sobre consórcio, certo? Então, você já deve saber que um consórcio é a união de um grupo de pessoas que desejam adquirir um bem. Além disso, quando contratam um consórcio, as pessoas pagam mensalmente um valor que vai para um fundo comum, uma espécie de poupança coletiva.

Então, a carta de crédito corresponde ao valor de compra de bem e funciona como um “vale comprar”. E o consorciado a recebe quando é contemplado, com o valor da carta sendo retirado do fundo comum, a poupança do grupo de consórcio, como destacamos acima. 

Com a carta de crédito o consorciado pode fazer uma compra à vista. Essa quantia é determinada lá no início do consórcio, quando você decide o valor da carta de crédito que deseja contratar. O ideal é já ter em mente o produto que você deseja comprar.

Em resumo, a carta de crédito funciona assim: se você comprar um carro X, que custa R$ 50 mil, esse é o valor que deve ter sua carta de crédito.

Você também define, dentro da duração permitida pelo consórcio, em quantas parcelas vai pagar os R$ 50 mil. Ou seja, digamos que você pague o valor em 72 meses e é contemplado por sorteio no 7º mês do consórcio. No 7º mês você recebe a carta de crédito para a compra do bem, e segue pagando normalmente as parcelas até o fim dos 72 meses do contrato.

Como faço para conquistar a carta de crédito?

Para ter uma carta de crédito em mãos, portanto, é preciso ser contemplado no seu grupo de consórcio. E a contemplação pode acontecer de duas formas: por sorteio ou por lance.

Cada administradora de consórcio tem regras bem específicas sobre a quantidade de sorteados ou de vencedores por lance, e também sobre os requisitos para se oferecer um lance. Por isso, saiba que esse é um dos detalhes mais importantes a serem estudados antes de contratar um consórcio.

O que fazer após ser contemplado?

  • Aviso de contemplação: você será notificado pela administradora que foi sorteado ou que seu lance foi vencedor. Entretanto, no lance, você deve pagar o valor ofertado em até três dias depois da assembleia. Essa é uma média de tempo e é preciso conferir o limite específico fixado no regulamento do seu consórcio.
  • Comprovação de crédito: antes de receber a carta de crédito, você precisará comprovar que tem condições de seguir pagando as parcelas até o final. Normalmente, a prestação não pode ser maior que 1/3 do seu salário, e você precisa estar com o nome limpo. Então, reúna e entregue para a empresa documentos como cópias de RG, CPF, comprovante de residência e comprovante de renda.
  • Definição do bem desejado: com o crédito aprovado, você já pode escolher o bem que planeja comprar, seguindo os critérios definidos em contrato.
  • Entrega de documentos referentes ao bem: prepare-se para investir um tempo reunindo toda a documentação relacionada ao bem escolhido. A administradora irá lhe passar uma lista de tudo que precisa antes que a compra possa ser efetuada.
  • Compra do bem: com todos os documentos entregues, você assina o contrato de aquisição e a administradora envia o pagamento do valor para o vendedor. E tudo pronto!

Como posso usar minha carta de crédito?

Sua carta de crédito deve ser utilizada dentro da categoria que foi contratada. Por isso, é importante já ter uma ideia de qual é o bem que você deseja adquirir antes de fechar o consórcio. Logo, se você definiu que iria adquirir um imóvel, não é possível mudar a categoria para um veículo na hora da compra.

Confira as modalidades de consórcio mais comuns:

Consórcio de veículos

No consórcio de carros, você pode comprar um veículo novo ou seminovo de sua escolha. Sendo assim, para automóveis usados pode existir limite de idade do bem, consulte com a administradora. Os documentos necessário para a compra são os seguintes:

Carro usado

  • Resultado do Laudo de Vistoria;
  • Análise de Crédito (CONE – Consulta de Negócios);
  • 3ª via da Nota Fiscal do veículo, que deve conter os dados completos do automóvel com a especificação de “Alienação a XXX (nome da administradora)”;
  • Dados da conta para crédito, ou seja, dados para que o dinheiro seja depositado quando a compra for feita e a carta de crédito entregue;
  • Contrato de Alienação;
  • Nota Promissória;
  • Registro do contrato de alienação no Cartório de Registro;
  • Contrato de Alienação, entre outros.

Carro novo

  • Contrato de Alienação;
  • Análise de Crédito (CONE – Consulta de Negócios);
  • 3ª Via da Nota Fiscal do veículo que deve conter os dados completos do automóvel com a especificação de “Alienação a XXX (nome da administradora)”;
  • Dados da conta para crédito, ou seja, dados para que o dinheiro seja depositado quando a compra for feita e a carta de crédito entregue;
  • Registro do contrato de alienação no Cartório de Registro;
  • Nota Promissória, entre outros.

Consórcio de imóveis

Você pode utilizar a carta de crédito para uma compra no mercado imobiliário, podendo ser uma casa, apartamento, terreno, imóvel na planta e até uma reforma. Além disso, não há limite de existência do bem a ser adquirido. Você escolhe o imóvel e a administradora faz o pagamento e transfere o bem para o seu nome. Os documentos necessário para a compra são os seguintes:

Do comprador

  • RG;
  • RNE;
  • CPF;
  • Certidões de Nascimento e Casamento, Negativa de Débitos no INCRA, Conjunta emitida pela SRF/PGFN e Negativa de Débitos CND do INSS.

Do imóvel  

  • Certidão Negativa de Impostos e Taxas Municipais;
  • Certidão de Inteiro Teor da Matrícula com Negativa de Ônus;
  • Declaração de Não-Existência de Débitos Condominiais;
  • Imposto sobre a Propriedade Territorial e Urbana;
  • Certidão/Declaração Negativa de Foro, Laudêmio ou CAT (Certidão de Autorização de Transferência);
  • CCIR – Certificado de Cadastro Rural;
  • Cinco últimos exercícios do DARF comprovando os pagamentos do ITR (Imposto Territorial Rural) ou CRFI – Certidão de Regularidade Fiscal de Imóvel, entre outros.

Do vendedor

  • RG;
  • RNE;
  • CPF;
  • Certidões de Nascimento e Casamento. Conjunta emitida pela SRF/PGFN, Negativa de Débitos no INCRA, CND do INSS, Distribuidores Forenses referente a “Ações Cíveis” e da Justiça Federal, Conjunta emitida pela SRF/PGFN; Negativa de Débitos CND do INSS; Negativa de Débitos do INCRA, entre outros.

Por fim, ainda existem três opções, nem sempre presentes em todos os consórcios:

  • Consórcio de serviços, usado para viagens, festas, estudos, etc.
  • Liquidação de financiamento, quando você usa a carta de crédito para quitar um empréstimo.
  • Utilização do dinheiro, quando o consorciado não utiliza a carta de crédito até 180 dias depois da contemplação e já possui as parcelas quitadas.

Pronto para começar seu consórcio?

Agora que você já sabe como funciona uma carta de crédito é só encontrar o consórcio ideal para o seu bolso e torcer pela contemplação. Já decidiu qual bem ou serviço vai querer?

Então, SIMULE AQUI as parcelas do seu consórcio para fazer a melhor escolha!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.