Início » Consórcio » Como vender o consórcio? Saiba se essa é a melhor solução para você

Como vender o consórcio? Saiba se essa é a melhor solução para você

como vender consórcio

Você sabia que é possível vender seu consórcio? A aquisição de bens por consórcio é uma alternativa muito buscada por pessoas que não conseguem guardar dinheiro, mas que querem viabilizar a conquista de um objetivo como um carro ou a casa própria. Porém, muitos enfrentam dificuldades para honrar o compromisso financeiro ao longo do caminho e precisam passar o negócio para frente. Além disso, elas não têm certeza se podem passar o contrato para outro titular.

Se essa é a sua dúvida, leia este post com atenção!

É possível vender meu consórcio?

Sim, você pode vender o seu consórcio. Inclusive, isso está previsto na legislação deste tipo de investimento, conforme o artigo 13º da Lei 11.795/2008. Você pode fazer a transferência de título de sua cota desde que haja permissão da administradora.

Com a venda do consórcio, o novo titular assume todos os direitos e obrigações. Por isso, é essencial que os envolvidos estejam cientes das cláusulas para que esse processo seja feito sem complicações.

Mesmo que o contribuinte desista nos primeiros meses de consórcio, ele só poderá ter acesso ao valor já investido ao final do prazo contratado. Infelizmente, isso pode durar alguns anos. O repasse pode ser uma opção para quem não consegue arcar com o pagamento das próximas parcelas, e precisa reaver o valor já pago o quanto antes.

Como calcular o valor da minha cota?

O cálculo correto da sua cota considera a porcentagem do valor do bem que você já pagou. Entram nessa conta a situação da cota (se está ativa ou foi cancelada) e o número de meses que falta para finalizar o consórcio

Além disso, é preciso levar em conta os reajustes que compensam a desvalorização do poder de compra provocada pela inflação. Dessa forma, a cota também terá um valor mais alto.

Para obter o valor exato, consulte a administradora e peça uma simulação. Assim, você tem o valor correto e evita problemas durante a negociação com o comprador.

Como vender um consórcio já em andamento?

A decisão de vender o consórcio ao perceber que não poderá arcar com os pagamentos é inteligente, já que assim evita-se a cobrança de multas por cancelamento de contrato.

Você pode fazer ofertas na internet para encontrar um interessado, ou ainda vender o título para uma pessoa conhecida. Também existem diversas empresas que trabalham com a compra e venda de consórcios, abrindo possibilidades para que você feche o melhor negócio.

Lembre-se: sempre há o risco de golpes. Para evitar problemas, caso você decida vender a cota para uma empresa, faça uma pesquisa aprofundada, consultando o histórico e as reclamações.

Se você quiser repassar a cota para uma pessoa física, procure a assessoria de uma empresa especializada nesse tipo de negócio. Eles fazem toda a verificação necessária para o negócio, garantindo um processo tranquilo.

E se o consórcio for contemplado?

Você também pode vender o consórcio já contemplado. Nesse caso também é importante fazer uma avaliação cuidadosa da pessoa ou empresa que deseja adquirir o título, evitando transtornos.

Geralmente, as cotas contempladas cobram ágio, o que significa uma alteração nos valores. Mas, justamente por garantirem o acesso imediato à carta de crédito, essas cotas podem gerar negócios mais interessantes em termos financeiros.

Como vender o consórcio, na prática?

Além de passar por uma avaliação da administradora, é preciso apresentar as cópias autenticadas de alguns documentos do comprador no momento de vender o consórcio. Veja a lista:

  • Documento de identidade;
  • CPF;
  • Comprovante de renda;
  • Documentos do bem, caso já tenha sido adquirido;
  • Certidão negativa de débitos.

Além disso, a documentação inclui os seguintes formulários que devem estar preenchidos e assinados:

  • Contrato de transferência de cota;
  • Pagamento das taxas de transferência de titularidade;
  • Contrato de alienação fiduciária sob titularidade do comprador.

É preciso formalizar essa venda?

Sim, essa formalização é indispensável. Isso porque a administradora é responsável apenas pela aprovação da venda.

Por isso, é importante redigir um contrato com todas as informações envolvidas, como formas de pagamento, datas de acerto e demais responsabilidades. Trata-se de uma maneira de comprovar o negócio e tomar providências caso não haja o cumprimento do que foi acordado.

Como fazer uma boa negociação na venda do consórcio?

Algumas providências deve ser tomadas para que, ao vender o consórcio, você realmente consiga fechar um bom negócio. Destacamos aqui as principais.

Compare propostas

Após a simulação realizada pela administradora, compare as propostas e verifique qual é a mais vantajosa. Também é preciso analisar o risco de cada negócio, como a possibilidade de inadimplência pelo comprador.

Pense na segurança

Antes de realmente transferir a cota para o nome do interessado, certifique-se de que ele já depositou, pelo menos, uma entrada inicial. Ou então determine um acordo que aumente a segurança para o recebimento dessas parcelas.

Por outro lado, tome cuidado com agendamentos de DOC! Esse pagamento pode ser cancelado antes da efetivação do crédito, e não é possível reivindicar o valor. Também faça com que o comprador acompanhe toda a transação com a administradora, certificando-se de que se trata de uma cota válida.

Calcule o ágio

Quando a venda é de um consórcio já contemplado, o valor inclui a taxa de ágio, que corresponde a 30% do bem. Ou seja, esse valor justifica-se pela opção da outra parte já ter acesso ao bem, de modo similar a um financiamento, porém sem as taxas de juros abusivas.

A cobrança desse ágio é uma decisão sua, mas saiba que esse direito existe e negocie da melhor maneira para que seja algo vantajoso para você e para o comprador.

Vender ou reativar o consórcio?

Caso você tenha conseguido equilibrar as finanças, é possível retomar normalmente o consórcio, evitando a venda. Sendo assim, é necessário que o grupo ainda permaneça ativo e falte pelo menos um ano para encerrar o período de pagamento.

Além disso, vale conversar com a administradora e checar a melhor maneira de acertar o débito, com pagamento à vista ou diluído nas parcelas restantes. Se você tem real interesse na aquisição do bem, pode ser que a reativação seja a melhor escolha.

Agora você já sabe como vender o consórcio e quais os cuidados deve tomar durante a negociação. Por fim, não esqueça de realizar tudo com o máximo de segurança possível, evitando golpes.

Quer mais dicas sobre finanças? Continue acompanhando o nosso blog e confira as postagens!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: