Início » Consórcio » Consórcio de moto usada vale a pena? Entenda aqui!

Consórcio de moto usada vale a pena? Entenda aqui!

Pessoa andando em uma moto

Não dá para negar que é através do consórcio que milhares de brasileiros realizam sonhos todos os anos. Seja por ser uma forma simplificada de comprar um bem, ou pelas propostas bastante atrativas, o consórcio de moto usada é uma das modalidades mais em conta dessa categoria de financiamento.

Você ainda tem dúvidas de como funciona e se vale mesmo a pena esse tipo de empreendimento? Então fique conosco até o final deste artigo que nós vamos te explicar tudo o que você precisa saber antes de fechar negócio!

Como funciona o consórcio de moto usada?

Não há muitas diferenças em relação a outras categorias de bens adquiridos através de consórcio. A boa notícia é que quem deseja comprar uma moto seminova possivelmente pagará parcelas mais baixas do que quando se compra uma motocicleta nova.

Portanto, encontre um grupo de consórcio que autorize a compra de motos usadas. Depois, confira se as condições são vantajosas para você. Antes de fechar um contrato, tenha uma breve noção de qual modelo de moto usada você gostaria de comprar e qual a média de preço dela no mercado.

Assim você pode decidir o valor da sua carta de crédito, que é o documento que você recebe para comprar o bem desejado quando for contemplado. Aliás, esse é um ponto importante para ficar atento: quando você contrata um consórcio, você escolhe um tipo de produto que quer adquirir (carro, moto, casa, serviço, etc) e não pode mudar essa categoria quando receber a carta de crédito.

Outra coisa que muita gente pensa é que pode optar por não comprar uma moto e receber o dinheiro em espécie. Existem várias regras para que isso aconteça. Embora possa sim ocorrer, é bem mais difícil e leva mais tempo do que você imagina.

Lembre-se das duas coisas mais importantes neste momento. Primeira: defina a quantia na carta de crédito que seja compatível com a moto usada que você quer comprar no consórcio. Segunda: explique para a administradora qual é o valor máximo que pode pagar por mês.

A partir daí, define-se a quantidade de parcelas que você irá pagar. Existem grupos que variam de 20 a até 100 meses de duração, certamente você encontrará algo que funcione para o seu planejamento financeiro.

Quanto tempo leva para ser contemplado?

Ninguém pode prometer que você será contemplado em poucos meses, ok? Se algum vendedor afirmar que você receberá sua carta de crédito ainda no primeiro ano, desconfie.

Todos os meses a administradora realiza uma assembleia. Sendo assim, é nessa reunião que ficam definidos os vencedores do mês. Você pode ser contemplado por sorteio ou por lance.

Caso você não queira contar somente com a sorte, é possível oferecer um lance. Nesse caso, ganha quem der o maior valor, como acontece em um leilão. Essa é a melhor alternativa para quem tem pressa de comprar o bem desejado.

Quando você é contemplado, a administradora solicita uma série de documentos para fazer uma análise de crédito. Isso porque eles precisam ter certeza que você possui condições financeiras de continuar pagando as prestações depois que a sua moto já estiver na garagem. 

Normalmente, o que é exigido é que seu nome esteja limpo e que o valor das parcelas mensais não ultrapasse 1/3 do seu salário.

Quanto custam as parcelas?

Os valores das suas prestações serão relativos ao preço da moto escolhida e a quanto você pode pagar por mês. É por isso que os grupos oferecem a oportunidade de você pagar um consórcio durante anos, para que as mensalidades fiquem acessíveis.

As parcelas compõe-se, basicamente, do valor que vai para o fundo comum e da taxa administrativa. O fundo comum é o caixa do seu grupo. Nele, ficam os pagamentos de todos consorciados, ou seja, os valores para as cartas de crédito contempladas.

Já a taxa de administração é a única taxa embutida em um consórcio, e serve para arcar com todos os custos relacionados desde a criação do grupo até o encerramento.

Outros valores, como seguro e fundo de reserva, podem ser inseridos na parcela, a depender de cada administradora.

A boa notícia é que não há juros se você estiver sempre com suas parcelas em dia! É essencial que você pague as prestações sempre antes da data do vencimento. Quem tiver pagamentos em atraso não participa das assembleias e perde a chance de ser contemplado até que a situação seja regularizada.

E quais são as principais vantagens?

A principal vantagem de optar por um consórcio de moto usada certamente é o preço. Existem no mercado motocicletas seminovas de alta qualidade com valores bem menores do que os modelos novos.

Uma boa dica é conversar com um mecânico de sua confiança para analisar as opções mais seguras e confiáveis. Pense nos tipos de modelos compatíveis para o uso que você quer dar, seja para o dia a dia ou para usar na estrada, e avalie também a facilidade de compra e venda.

Talvez o consórcio seja o passo inicial para você comprar sua primeira moto, e de tempos em tempos você pode trocar de motocicleta fazendo um novo consórcio. Essa é a forma que muita gente encontra de estar sempre com uma moto atualizada e com prestações leves.

Outra vantagem é que você pode contratar uma carta de crédito de valor um pouco maior que o da moto escolhida e utilizar a quantia que sobrar para pagar as despesas de licenciamento, IPVA e seguro. Assim não há surpresas no orçamento quando você for contemplado.

Agora que você sabe tudo sobre consórcio de moto usada, que tal fazer uma simulação online para achar a parcela perfeita para o seu orçamento? CLIQUE AQUI para começar!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: