Início » Consórcio » O que é consórcio? Como funciona e por que investir?

O que é consórcio? Como funciona e por que investir?

O que é consórcio

Apesar de não ser uma novidade, ainda há quem não saiba o que é um consórcio nem quais as principais diferenças deste modelo de aquisição de bens e serviços para outros existentes no mercado. Para não deixar qualquer dúvida, neste post você vai aprender tudo sobre consórcio, como funciona, quais os principais benefícios e muito mais!

Mas para começar é importante entender que o consórcio é considerado um tipo de “poupança coletiva”. Ou seja, pessoas com o mesmo objetivo de compra (bem ou serviço) se juntam e pagam mensalmente um valor para essa aquisição. Isso é um dos principais motivos que torna o consórcio uma forma mais acessível para a aquisição de bens de alto valor agregado, como imóveis e automóveis. 

Como funciona o consórcio

O sistema de funcionamento do consórcio não tem mistério. Cada membro é chamado de consorciado e tem o dever de fazer sua contribuição mensal de acordo com o que fica estabelecido em contrato.

Além disso, todo o consórcio tem um prazo máximo para o recebimento do valor de compra do bem, chamado de carta de crédito. Porém, é possível ganhar a carta antes do vencimento do prazo, por meio de sorteios ou de lances, como mostra o esquema abaixo. Lembrando que mesmo sendo um contemplado, o consorciado ainda precisa pagar suas parcelas normalmente até o final do consórcio.

Como funciona um consórcio

Passo a passo do consórcio

Como mostra a imagem acima, o funcionamento do consórcio é simples e, para melhor compreensão, explicamos a seguir o significado de cada etapa.

Parcela: Cada consorciado representa uma cota do valor total do consórcio. Por isso, mensalmente cada pessoa faz sua contribuição, chamada de parcela mensal.

Assembleia: Reuniões são realizadas mensalmente pela administradora para realizar os sorteios dos contemplados, escolher o maior lance do período e informar os resultados.

Sorteio: Um consorciado é escolhido, a partir de um sorteio realizado pela Loteria Federal, para ser o contemplado do mês e ter o direito de receber sua carta de crédito.

Lance: Qualquer consorciado pode dar um lance, como é chamado o valor extra além da parcela, para ter a chance de ser contemplado por ter o maior percentual do período.

Contemplação: São os sorteados ou escolhidos no lance que podem ganhar sua carta de crédito. Ou seja, é o documento que viabiliza a compra do bem antes do prazo final do consórcio.

Carta de crédito: Trata-se do documento que corresponde ao valor em dinheiro necessário para fazer a aquisição do bem ou a realização do serviço.

Por que investir em um consórcio?

Segundo dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC), de 2015 até maio de 2020 o crescimento de participantes ativos em consórcios foi de 337,8% Dados assim reforçam que a adesão aos consórcios vem aumentando entre os brasileiros. Entre os motivos para isso estão a flexibilidade de pagamento das parcelas, análise de crédito, taxas menores e segurança do investimento.

O fato é que o consórcio se apresenta como alternativa efetiva e mais em conta —  principalmente para quem não possui uma renda mensal alta — a fim de adquirir um bem mais caro como um imóvel. Por isso, tem sido uma forma interessante de aquisição para diversos perfis, como por exemplo:

  • Pessoas que procuram fazer um investimento futuro;
  • Quem deseja alcançar algum objetivo em uma data específica, como uma festa;
  • Aqueles que conseguem poupar mais quando existe um compromisso por trás; e
  • Quem deseja conquistar algo a longo prazo mas quer ter a chance da aquisição adiantada.

Quem pode recorrer a um consórcio?

Qualquer pessoa maior de 18 anos pode se tornar um consorciado.

Importante: alguns consórcios permitem mesmo pessoas com problemas de inadimplência. No entanto, só poderão ser contempladas com a carta de crédito após quitarem suas dívidas.

Apesar dos pré-requisitos para adesão, como avaliação de documentação e renda, o consórcio considera que o consorciado é como um investidor. Isto torna essa análise prévia mais simples e rápida. 

Quais são os tipos de consórcios

Consórcios de imóveis e consórcios de carros costumam ser os mais tipos de consórcio mais comuns e, por isso, os mais conhecidos. Mas o mercado já conta com outras opções focados em itens diferenciados. Veja os exemplos:

  • Viagens
  • Cursos de idiomas
  • Serviços estéticos
  • Festas e evento
  • Maquinários

No caso dos consórcios para veículos, a carta de crédito pode ser usada para aquisição de máquinas agrícolas, embarcações e até aeronaves. 

Já nos consórcios para imóveis, é possível utilizar o valor do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para dar lances, antecipar a contemplação ou pagar parcelas atrasadas do consórcio. Para isso, é preciso que o consorciado tenha pelo menos 3 anos de depósito no FGTS mesmo que não sejam anos consecutivos. 

Quais são os principais benefícios de um consórcio

São várias as vantagens proporcionadas por um consórcio, principalmente quando se leva em conta a realidade financeira de quem o está contratando. Isto é, se a sua renda mensal não é alta, o consórcio será uma das melhores formas para você adquirir serviços ou bens. 

O mesmo se aplica se você está buscando a sua independência financeira ou está começando sua vida profissional, e não quer comprometer parte da sua renda mensal para adquirir um bem.

Abaixo, você confere os quatro principais benefícios de um consórcio:

1 – Redução da carga tributária

Uma das grandes vantagens dos consórcios é justamente a baixa carga tributária inserida nas parcelas. Não são cobrados valores de entrada nem juros abusivos. Apenas a taxa da administradora do consórcio, que geralmente é menor que o IOF e os juros bancários.

Apesar disso, em consórcios para aquisição de automóveis as administradoras consideram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para a definição do valor das parcelas. Por outro lado, para consórcios de imóveis, o Índice Nacional de Custo de Construção (INCC) é a referência utilizada para os ajustes das parcelas. 

Importante ressaltar ainda que a quantia inicialmente definida na carta de crédito e o valor das parcelas podem sofrer mudanças por causa do tempo de duração do consórcio e as oscilações da inflação.

2 – Flexibilidade para pagamento

Enquanto financiamentos dão até 96 meses para a quitação do valor tomado por empréstimo, os consórcios geralmente oferecem até 180 meses, principalmente se forem para aquisição de imóveis. Quanto mais parcelas, menor o valor pago mensalmente. 

O cálculo das parcelas é feito com a divisão do valor da carta de crédito pela quantidade de meses para o pagamento, acrescido da taxa de administração do consórcio. Sendo assim, existem diversos tipos de consórcio, com produtos, créditos, parcelas e prazos diferentes, mas todos os modelos são fiscalizados pelo Banco Central.

3 – Versatilidade de uso do crédito

Como você já destacado no começo deste post, o consórcio é como uma poupança conjunta onde várias pessoas contribuem mensalmente para a aquisição do mesmo bem ou serviço. Assim, as ordens de contemplações acontecem mensalmente entre os consorciados. Um sorteio ou lance é uma ordem de contemplação.

No caso do lance, os consorciados podem ofertar um valor maior para serem contemplados. Geralmente, esses valores a mais correspondem à parcelas da carta de crédito antecipadas pelo consorciado, interessado na contemplação por lance.

Nenhum contemplado precisa usar o crédito logo imediatamente. Ele tem um prazo para usar a carta de crédito que varia entre 90 e 180 dias. Porém, essa média depende das regras definidas em contrato pela administradora do consórcio. 

Planejamento e organização

A versatilidade de uso do crédito do consórcio permite um maior planejamento e organização financeiros. Isso ocorre porque o consorciado pagará pela carta de crédito de forma parcelada, respeitando o seu orçamento. E mais: poderá negociar a compra de um bem pelo preço à vista! Isso porque o resgate do valor da carta é feito de modo integral.

Por fim, o consorciado pode usar a diferença de valores para cobrir outros custos, se necessário. Isso ocorre quando o valor da compra acaba sendo menor do que o previsto, por causa de um desconto à vista ou outra condição diferenciada.

4 – Valor do bem atualizado

Os valores das taxas recebem reajustes de acordo com as mudanças do mercado financeiro, como a inflação, por exemplo. É uma forma de garantir que a carta de crédito, mesmo anos após o ingresso em um consórcio, tenha o valor mínimo necessário para a aquisição do bem desejado.

Sendo assim, o consórcio é um modelo de negociação que propõe a aquisição de um bem de maneira isonômica e pelo uso de autofinanciamento.

Pronto para escolher seu consórcio?

Além de entender melhor sobre o que é consórcio e suas características, esperamos que as informações apresentadas neste post tenha reforçado os principais benefícios e atrativos deste tipo de investimento:

  • Menos burocracia;
  • Maior planejamento financeiro;
  • Flexibilidade no uso do valor carta; e
  • Menores taxas.

E se você já está mais inclinado para entrar em um consórcio e gostaria de saber mais sobre valores, veja o nosso simulador de consórcios para começar a planejar suas parcelas!