Início » Dicas » Alugar ou financiar seu imóvel? Qual o melhor?

Alugar ou financiar seu imóvel? Qual o melhor?

alugar ou financiar um imóvel? Qual será a melhor alternativa? Descubra aqui!

Comprar um imóvel próprio é o grande objetivo de vida da maioria dos brasileiros, mas a questão financeira ainda é um dos motivos que pode mudar esses planos. Avaliar e analisar a melhor escolha envolve uma série de fatores, inclusive saber qual é a possibilidade mais vantajosa: alugar ou financiar um imóvel. Quer saber qual o melhor negócio? Acompanhe o artigo!

Vale a pena alugar um imóvel?

É comum ouvir algumas pessoas dizerem que o aluguel é uma forma de perder dinheiro, afinal o valor aplicado não consegue gerar nenhum tipo de retorno financeiro. O brasileiro tem quase como uma tradição adquirir a casa própria para família e, por isso, tenta se livrar do aluguel o mais rápido possível.

Os valores praticados no aluguel dependem dos juros praticados pelo mercado. Por isso, em alguns momentos, há uma vantagem maior em pagar o aluguel de uma propriedade do que arcar com os valores do financiamento de uma casa.

Por exemplo, se você está em início de carreira ou quer realizar um intercâmbio, morar de aluguel pode ser uma boa alternativa já que nesse tipo de negociação é possível adaptar o contrato de acordo com os seus planos. O aluguel de um imóvel é mais barato que o financiamento, pois você consegue organizar suas finanças de uma forma que seja possível destinar um valor para pequenos investimentos.

Com a rentabilidade desse investimento, é possível realizar outros sonhos pessoais ou comprar algum objeto de desejo antigo. Portanto, o ato de alugar um imóvel e viver em uma casa alugada só será confortável dependendo da sua situação financeira, do tamanho da sua família e do momento profissional e pessoal que você estiver passando. Por isso, analise bem a sua realidade e procure um imóvel ideal para as suas necessidades!

Vale a pena financiar um imóvel?

Comprar uma casa é um dos grandes sonhos da maioria da população, justamente para se livrar do aluguel e poder ter um imóvel próprio para garantir a moradia e segurança de sua família. Atualmente, o mercado imobiliário conta com diversas maneiras de financiamento de casas e apartamentos.

É possível financiar por instituições financeiras, realizar consórcio, solicitar empréstimos ou até economizar mensalmente para conseguir o valor desejado para compra da casa. Mas, todas essas práticas possuem detalhes importantes que podem mudar o cenário da sua situação financeira.

Para não ficar na dúvida entre alugar ou financiar um imóvel, veja a seguir as possibilidades de financiamento de imóveis presentes hoje no Brasil.

Financiamento

Indicado para quem tem pressa em adquirir a casa que tanto sonha, o financiamento de imóveis é muito popular entre as instituições financeiras. Todo o processo de solicitação e aprovação costuma acontecer de maneira rápida e o valor cai em sua conta em alguns dias, mas infelizmente esse tipo de crédito acumula muitos juros.

Para ter mais informações sobre o financiamento e tirar todas as dúvidas, acesse e leia nosso post sobre financiamento de imóveis!

Empréstimo

Você pode encontrar três opções de empréstimo adequados à realidades e necessidades diferentes dentro desse tipo de crédito. São eles:

  • Pessoal
  • Consignado
  • Com garantia

Cada um possui taxas de crédito e modalidades de pagamento exclusivos. Por isso, o empréstimo pode ser mais indicado de acordo com o seu orçamento pessoal e a sua vida financeira. Para quem não quer pagar tantos juros assim, esse tipo de crédito pode trazer mais benefícios, já que o empréstimo com garantia e consignado conseguem diminuir consideravelmente a porcentagem das taxas de encargos e afins. 

Quer saber mais sobre o assunto? Quais as regras e como funciona? Leia nosso artigo completo sobre empréstimo!

Consórcio

Para quem não quer pagar juros e ainda consegue esperar alguns meses para ter o bem desejado, o consórcio é a melhor escolha! Nesse caso, ao optar pelo consórcio você terá que quitar todas as parcelas acordadas para poder comprar o imóvel que planeja.

Mesmo que seja bastante atrativo, é interessante analisar todo o seu orçamento pessoal para saber se o consórcio de imóveis é para você. Ainda assim, o consórcio é mais acessível que os outros tipos de crédito, por isso, caso queira conhecer todos os detalhes sobre ele, leia nosso artigo e tire todas suas dúvidas sobre o consórcio

Prazos, juros e outros detalhes

O financiamento e o empréstimo operam com prestações referentes a dois encargos: a amortização e o juros. A amortização é a parte do valor que está sendo devolvida ao banco e os juros são referentes a quantia solicitada à instituição, chamado de saldo devedor. Ao pagar uma parcela do empréstimo, você estará quitando essas duas atribuições.

Os prazos e valores limites que podem ser solicitados variam de acordo com o banco, mas as taxas de juros geralmente operam em uma variação de 4,5% a 14% ao ano. As menores porcentagens de juros só estão disponíveis para o programa habitacional do Governo Federal, o Minha Casa Minha Vida. Nesse caso, as condições de pagamento podem ser alteradas de acordo com a renda familiar e o valor da propriedade.

Diante de tudo isso, você deve saber que, para fechar o financiamento, o banco cobra uma quantia referente a entrada no imóvel, que geralmente corresponde a 20% do valor total da casa ou apartamento. Por isso, ao solicitar um financiamento, você precisa saber:

  • O prazo de quitação do financiamento;
  • O valor total pago pelo imóvel (inclua no cálculo os juros e outras taxas);
  • Qual seria sua renda caso aplicasse o valor de entrada em algum investimento.

Alugar ou financiar: qual o melhor?

Cada opção, alugar ou financiar, possui suas vantagens e desvantagens, dependendo do momento que sua vida se encontra. Mas, olhando pelo lado financeiro, é mais benéfico para você e o seu bolso morar em um imóvel alugado.

Isso porque o aluguel possibilita que você separe uma parte do seu orçamento para investir em pequenas ações e conseguir um bom valor de rendimento. Posteriormente, esse dinheiro pode ser usado até mesmo para comprar uma casa, se ainda for uma necessidade.

Além disso, os juros de um financiamento de casas e apartamentos são muito altos. Ao realizar um simples cálculo, você perceberá que a quantia final paga é consideravelmente maior que o valor solicitado no começo do processo. O tempo de quitação também é muito longo, deixando suas economias dos próximos anos comprometidas com as parcelas referente a sua casa.

A economia brasileira está em constantes ciclos de altas e baixas, o que dificulta realizar uma projeção a longo prazo e pode desfavorecer o financiamento ainda mais. Nesse período, as instabilidades econômicas podem desvalorizar o imóvel e seu valor de mercado.

Para garantir um imóvel à vista sem tanto aperto, o consórcio pode ser um ótimo caminho para quem não possui o hábito de guardar dinheiro e precisa comprar uma casa ou apartamento. Procure uma administradora e faça uma simulação para saber qual a melhor opção para o seu orçamento.

Agora que você já sabe se é melhor alugar ou financiar o seu imóvel, analise sua situação financeira, procure uma credora e encontre a melhor opção de aluguel ou financiamento que cabe no seu bolso!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: