Início » Dicas » Tudo que você precisa saber sobre aluguel

Tudo que você precisa saber sobre aluguel

Descubra aqui tudo que precisa saber sobre morar de aluguel

O aluguel de imóveis é uma das práticas mais simples de conseguir um lugar para morar em certas regiões da cidade. Mesmo que algumas pessoas sonhem com a casa própria, o aluguel é uma ótima alternativa para estar bem localizado e até poupar dinheiro para planos futuros. Quer tirar todas as suas dúvidas sobre o tema e avaliar se o aluguel é para você? Acompanhe a leitura!

Como funciona o processo de aluguel de imóvel?

O aluguel de imóveis se popularizou bastante por ser uma opção mais acessível e a solução para quem precisa de um imóvel rápido ou quer estar em uma região mais privilegiada da cidade.

Além de muita pesquisa, o processo de começar a residir em um imóvel alugado envolve muitos trâmites. Você precisa estar a par de toda a situação legal da casa ou apartamento, estar com o nome limpo e apresentar uma série de documentos pessoais para a finalização do aluguel.

Todos os aluguéis devem contar com um contrato formal. Esse documento informará sobre a quantidade de meses alugados, valor que deve ser pago mensalmente, se o tipo de locação é para fins residenciais ou comerciais e toda e qualquer informação relevante para ambas as partes.

Caso ainda não se sinta seguro, saiba que a Lei 8.245/91, conhecida como Lei do Inquilinato, também pode amparar tanto quem aluga quanto quem contrata, garantindo ainda mais confiança na operação

O que é o contrato de aluguel?

O contrato de aluguel é o documento que te dá o direito de morar por um prazo determinado em um imóvel que não é seu. Não há um consenso sobre as informações que devem estar presente nessa papelada, mas é ideal que possua os dados de ambas as partes e todos os detalhes do imóvel.

Na internet é possível encontrar contratos prontos, mas o ideal é que o locador e o locatário estipulem valores, datas e regras de acordo com a finalidade do aluguel do imóvel. Alguns tipos de locação possuem prazos mínimos, é o caso dos aluguéis de residência que devem ter no mínimo 30 meses de duração.

Durante esse período de uso do local, o valor do imóvel pode sofrer um reajuste ou uma revisão. No caso do reajuste, ele varia de acordo com o que foi combinado entre você e o responsável do imóvel, já a revisão acontece por uma decisão realizada entre as partes para que nenhuma saia perdendo.

Se você pretende alugar um imóvel por mais de 30 meses, saiba que é possível aumentar o prazo do contrato. Isso dependerá apenas de uma conversa entre locador e locatário, mas não se esqueça de registrar esse acordo em outro contrato, evitando problemas.

Tem dúvidas sobre os termos envolvidos no contrato? Veja as nomenclaturas mais utilizadas nesse tipo de documento:

  • Contrato de locação: Confirmação do compromisso em que o locador disponibiliza o imóvel para o uso do locatário mediante pagamento;
  • Locador: Chamado de senhorio, é o responsável pelo imóvel;
  • Locatário: Conhecido como inquilino, é a pessoa que aluga o imóvel.

O que é fiador?

A palavra fiador é muito comum nesse tipo de negociação, mas muita gente não sabe o que é um fiador e quem pode ser atribuído a esse papel. Fiador é uma terceira pessoa, que pode ser um parente ou amigo do locatário, e ele se compromete a cobrir o valor caso o inquilino atrase ou não pague o aluguel.

Nesse caso, é interessante pensar em uma pessoa de confiança que poderá te ajudar se ocorrer algum imprevisto financeiro no seu orçamento. A ideia é que você não atrase ou deixe de pagar a parcela, mas caso aconteça o seu fiador te ajudará.

O que é caução?

O depósito caução é uma quantia que será paga antecipadamente, como uma garantia de que o seu locador não terá prejuízos a dar o imóvel para você. Esse valor costuma ser três vezes o preço do aluguel e é depositado em uma conta poupança. Ao final do contrato, o locador do imóvel deverá devolver a quantia com as correções da poupança. 

O que é seguro de fiança?

O seguro de fiança é, como o nome diz, um tipo de segurança a mais para o inquilino. Ele pode ser pago mensalmente ou à vista e serve como garantia caso algo aconteça e você não saia no prejuízo.

Quem paga o IPTU do imóvel?

De acordo com a Lei, o responsável pelo pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano, o IPTU, é o inquilino. Além desse valor, você também deverá custear os gastos cotidianos do condomínio no geral. Porém, caso apareça algum serviço mais específico sendo cobrado, ficará a cargo do proprietário do imóvel quitar esse valor.

O aluguel pode ser uma boa alternativa?

A maior dúvida de quem está precisando de um novo lar é saber se o aluguel compensa. Claro que possuir uma casa tem inúmeros benefícios, mas saber se comprar um imóvel é melhor que morar de aluguel depende muito de sua situação de vida e financeira.

Se você está começando sua carreira profissional ou quer ter mais autonomia na sua vida, comprar um imóvel não é tão fácil assim. Nesses casos, ainda há muitas instabilidades. Por exemplo, a rotina pode ser mudada constantemente e há a chance de você precisar sair da cidade ou estado em que vive.

Para isso, o aluguel pode ser uma opção mais confortável e menos burocrática. Mas, se o seu sonho é comprar uma casa, procure opções de financiamento e consórcio para ficar mais perto dessa realização pessoal. 

Em todas as alternativas, comprar ou alugar, é interessante iniciar um planejamento pessoal, verificar como está sua saúde financeira, quanto é preciso poupar para seu sonhado imóvel e traçar metas e estratégias. Essas pequenas ações farão uma grande diferença no seu orçamento e nortearão suas vontades pessoais.

Viu só como alugar um imóvel não é tão difícil? Agora que você já conhece o aluguel, pense nessa opção para morar em um bom lugar e começar um novo ciclo na sua vida!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: