Início » Dicas » Minha Casa Minha Vida: como funciona e quem pode participar

Minha Casa Minha Vida: como funciona e quem pode participar

Família em sua casa própria obtida pelo Minha casa Minha Vida

Criado pelo Governo Federal, o programa habitacional Minha Casa Minha Vida foi desenvolvido para financiar casas ou apartamentos novos e permitiu que muitos brasileiros saíssem do aluguel para conquistar seu imóvel próprio. Utilizar esse benefício é muito fácil, mas muitas pessoas não sabem como funciona o Minha Casa Minha Vida. Quer saber sobre o programa e avaliar se é uma boa opção para você? Acompanhe o artigo!

O que é o Minha Casa Minha Vida?

O programa MCMV é uma iniciativa do Governo Federal criado para facilitar o processo de financiamento do primeiro imóvel para pessoas de baixa renda por meio de subsídios. Com o programa, é possível financiar até 90% do valor total e os outros 10% ficam por conta do cliente. Mas, não é possível pagar o valor de entrada do imóvel com esses subsídios oferecidos, visto que por conta deles a parcela do financiamento fica bem mais barata.

Como funciona?

O Minha Casa Minha Vida funciona com regras gerais e específicas, elas variam de acordo com a sua renda. Como a maioria dos financiamentos imobiliários disponíveis, as parcelas desse tipo de crédito não podem ultrapassar o valor correspondente a 30% da sua renda. Além disso, para estar elegível ao programa, a soma da renda da sua família precisa ser menor que R$9 mil.

As regras específicas estão relacionadas com a sua faixa de renda, quais os subsídios disponibilizados pelo governo, prazos, juros e valores das parcelas. Com o programa, você possui a vantagem de uma carência de até 24 meses para começar a pagar, caso o imóvel seja comprado na planta e com uma taxa de juros menor do que as praticadas pelo mercado.

Quais as faixas de renda do MCMV?

 Um dos atributos que irão influenciar a sua participação no programa Minha Casa Minha Vida é a sua faixa de renda bruta mensal. Nesse caso, o cálculo da faixa é feito a partir da soma de todas as rendas pessoais e, a partir desse número, você consegue saber quais as condições de pagamento e o valor de juros.

Faixa 1 – Renda até R$1.800

Nessa faixa se encaixam famílias que possuem até R$1.800 de renda mensal. Quem está enquadrado nessa faixa do programa consegue subsídios do governo de até 90% para o financiamento do imóvel. As prestações podem variar de R$80 a R$270 e podem durar até 120 meses. Lembre-se, esses valores e prazos se encaixam apenas para as famílias que são consideradas na faixa 1 e isso pode mudar de acordo com as suas condições.

Faixa 1,5 – Renda até R$2.600

Com a renda até R$2.600, as condições são diferentes. O governo consegue ajudar com até R$47 mil em subsídio e o imóvel pode ser financiado em 360 vezes. Nessa categoria, a taxa de juros chega em até 5% ao ano, mas é importante destacar que, quanto menor o valor das parcelas, menor é o valor do juros.

Faixa 2 – Renda até R$4.000

Com uma renda maior, os subsídios disponibilizados pelo governo costumam diminuir, isso porque ele entende que você possui maiores condições financeiras e conseguirá arcar com as prestações. Nessa faixa, essa ajuda governamental pode chegar a R$29 mil. As taxas de juros podem variar 5,5% ao 7% ao ano e o prazo para quitar o imóvel pode chegar a até 360 parcelas.

Faixa 3 – Renda até R$9.000

As famílias que se encaixam na faixa três do programa Minha Casa Minha Vida não conseguem subsídios do governo para financiar a casa própria. Nesses casos, a maior vantagem é que o MCMV oferece taxas de juros bastante atrativas. Para quem possui renda de até R$7 mil os juros ficam por volta de 8,16% ao ano, mas quem possui renda familiar de até R$9 mil essa taxa pode chegar a 9,16% ao ano.

Quais os requisitos para participar do Minha Casa Minha Vida?

Além de se encaixar nas faixas já citadas, para conseguir se inscrever no programa é preciso se atentar para algumas regras:

  • Não ser beneficiário de outros programas habitacionais, seja no município ou na federação;
  • Ter mais de 18 anos ou ser emancipado;
  • Não possuir dívidas com o governo;
  • Não estar inscrito no cadastro nacional de mutuários;
  • Morar ou trabalhar no município a pelo menos 3 anos; e
  • Não possuir imóvel próprio.

Quais os benefícios desse programa?

O Minha Casa Minha Vida foi pensado para auxiliar a vida das famílias brasileiras e fazer com que todas elas fiquem mais perto do sonho da casa própria. Por isso, o programa possui mais vantagens quando comparado aos financiamentos realizados pelas instituições financeiras tradicionais. Veja algumas das maiores vantagens de contratar o MCMV para financiar sua casa:

  • No programa, o Governo Federal consegue disponibilizar um subsídio, uma ajuda de custos, para que as prestações saiam mais baratas;
  • Diferente dos outros tipos de crédito, o programa Minha Casa Minha Vida consegue aplicar as menores taxas de juros do mercado, o que é uma grande vantagem para quem precisa de prazos maiores para conseguir finalizar as parcelas do imóvel;
  • Ao entrar no programa, você pode usar seu saldo do FGTS para abater alguns valores cobrados. Com o saldo, é possível pagar o valor de entrada do financiamento, reduzir o saldo devedor e até quitar parcelas.
  • A Caixa é a melhor instituição para esse tipo de financiamento pois oferece condições melhores e juros ainda mais baixos.

Você acabou de descobrir como funciona o programa habitacional Minha Casa Minha Vida, agora veja em qual faixa sua renda se encaixa e entre em contato com o seu banco. Não perca essa chance de conseguir financiar a casa dos seus sonhos por um preço que cabe no seu bolso!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: