Início » Empréstimo » Empréstimo no cartão de crédito: como funciona? É uma boa opção?

Empréstimo no cartão de crédito: como funciona? É uma boa opção?

diversos cartões de crédito sobrepostos

Em 2021, as compras feitas com cartões devem superar R$ 2,3 trilhões no Brasil. O método de pagamento é o favorito de muitas pessoas e não é difícil imaginar o porquê. Afinal, elimina a necessidade de andar com dinheiro, permite o parcelamento de itens de alto valor e ainda beneficia o consumidor com pontuações e sorteios.

Além desses benefícios, no entanto, as instituições financeiras permitem a solicitação de empréstimos no cartão de crédito. E esse produto pode ser interessante até mesmo para quem não tem conta na empresa!

O consumidor pode ter acesso a uma quantia monetária com facilidade e simplicidade, sem comprometer o seu limite de compra mensal. É possível, portanto, conquistar o crédito para reformar uma casa e ainda ter limite para outras compras. 

Sem dúvidas, essa concessão pode ajudar muitas pessoas a realizarem seus sonhos e até mesmo a quitar dívidas antigas. Mas é preciso avaliar se a solicitação realmente vale a pena.

Este artigo esclarece como funciona o empréstimo no cartão de crédito e te ajuda a entender se esta é uma boa opção para atender às suas necessidades. Leia até o final e saiba mais sobre o assunto.

Como funciona o empréstimo no cartão de crédito?

Essa operação financeira é, basicamente, uma concessão de crédito pessoal associada a um cartão, sem comprometer o seu limite para compras. Geralmente, os consumidores têm um crédito pré-aprovado nas instituições financeiras das quais são clientes, o que facilita a aceitação.

A grande diferença do empréstimo via cartão de crédito é que você, como solicitante, não precisa ter uma conta corrente no banco. O dinheiro é depositado em conta que você tiver em outra instituição financeira.

A simulação e solicitação do empréstimo no cartão de crédito pode ser feita, em muitas empresas, no aplicativo da operadora do cartão ou banco, em um terminal de autoatendimento, por telefone, no internet banking ou em uma agência bancária.

Antes disso, no entanto, você precisa saber se a instituição financeira concede empréstimo no cartão de crédito. Então, basta solicitar o serviço e assinar o contrato, caso esteja de acordo com as regras e os encargos.

O banco também pode fazer uma análise de crédito, o que inclui a observância ao seu score de crédito, dívidas atuais e histórico de pagamentos, para entender se você tem capacidade de pagamento e para definir a taxa de juros do contrato.

Se o crédito for concedido, você receberá o dinheiro na conta corrente indicada ou como limite adicional no seu cartão de crédito. O prazo para isso acontecer varia entre instituições financeiras. Quem decidir recorrer ao empréstimo no cartão de crédito do Santander, por exemplo, deve receber o dinheiro em sua conta em até um dia útil no banco escolhido.

Existem outras maneiras de obter empréstimo no cartão de crédito?

É importante entender que existe outra hipótese de empréstimo no cartão de crédito em que o consumidor passa o seu cartão, como se estivesse realizando uma compra, e recebe o dinheiro na hora.

Essa prática, comum em algumas cidades, não tem relação com a solicitação de crédito sobre a qual se refere este artigo e é considerada crime de agiotagem e contra a Economia Popular no Brasil.

Como é feito o pagamento da dívida?

A forma de quitação varia de acordo com o contrato. Se você tem conta corrente na instituição, é provável que a cobrança seja feita via débito automático. Caso contrário, deve vir na fatura do cartão de crédito.

O SuperCrédito, do Santander, por exemplo, debita as parcelas do empréstimo automaticamente na fatura do cartão de crédito, sem comprometer o limite do consumidor, em até 36 vezes fixas.

É importante lembrar que cartões de crédito costumam ter taxas de juros altas e, por isso, você precisa se planejar financeiramente. Se quiser, acesse o site do Banco Central do Brasil para fazer uma estimativa dos encargos cobrados por instituições financeiras.

Vale a pena contratar um empréstimo no cartão de crédito?

Não é possível responder a essa pergunta objetivamente sem considerar o motivo pelo qual você deseja contratar o empréstimo e analisar opções. Antes de tudo, pesquise os produtos no mercado e as condições oferecidas por diferentes instituições financeiras.

A cobrança de juros é comum na concessão de crédito. Por isso, estude bem o custo total que você terá com o empréstimo, especialmente se a dívida for longa ou o valor for considerável, devido aos juros sobre juros.

Se você deseja solicitar um empréstimo no cartão de crédito para quitar outra dívida, naturalmente, precisará fazer alguns cálculos para saber se os encargos serão menores e, assim, se a transação vale a pena.

Existem casos em que essa estratégia pode ser interessante. Se você deseja compensar uma dívida de crédito rotativo ou cheque especial, por exemplo, o empréstimo pode ajudar a reduzir os juros. Naturalmente, considere os demais encargos, como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

A concessão também pode ser benéfica se você tiver um objetivo de curto prazo. Se você precisar comprar um carro, reformar um imóvel ou fazer um curso que aumentará a sua empregabilidade instantaneamente, por exemplo, essa pode ser uma estratégia interessante.

Ainda assim, o custo deve estar de acordo com a sua capacidade de pagamento e você deve comparar os encargos entre instituições financeiras. De todo modo, é possível recorrer a outras linhas de crédito, mais econômicas, como o crédito consignado, para realizar seus planos. Estude as alternativas.

Conclusão

Agora você já sabe como funciona o empréstimo no cartão de crédito e pode considerar suas vantagens e desvantagens. Antes de assinar um contrato, lembre-se de comparar opções e de fazer um planejamento financeiro, a fim de entender se você realmente terá condições de pagar o valor contratado mais os juros e outros encargos.

De modo geral, se você tem um objetivo de curto prazo, precisa pagar por um produto ou serviço essencial ou pode ter um retorno financeiro instantâneo, essa pode ser uma estratégia interessante. Se este não for o caso, é melhor considerar soluções alternativas, economizar e analisar o custo da solicitação.

Entre as alternativas que você encontra no mercado está o consórcio. Você sabe como funciona? Clique aqui e conheça mais sobre as funcionalidades dessa opção!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.