Início » Financiamento » Financiamento de carros usados: como funciona e taxas

Financiamento de carros usados: como funciona e taxas

um cofre no formato de porco na cor azul em cima de um carro

Com o crescimento das cidades e maiores distâncias a percorrer ao longo do dia, fica cada vez mais difícil viver sem um carro. Não que seja impossível, mas grande parte dos brasileiros sonha com o dia que não vai mais precisar depender do transporte público. E muita gente encontra a solução no financiamento de carros usados.

Afinal, comprar um veículo 0 KM demanda um investimento maior, então a aposta nos automóveis seminovos é uma boa saída para comprar seu primeiro carro – ou então para fazer a troca do que já está na garagem.

Fique com a gente até o final deste post para saber tudo sobre esse assunto!

Como funciona?

O primeiro passo é sempre ter ao menos uma breve noção de que tipo de veículo você gostaria de adquirir. Pesquise sobre as características ideias de um carro e o que se enquadra para o seu estilo de vida. Pode ser um carro mais básico para usar no dia a dia? Ou você tem família grande e costuma viajar nos finais de semana?

Analise as opções que têm a ver com o seu estilo de vida e comece a estudar os valores. A coisa mais importante nesse momento é saber o quanto da sua renda familiar mensal você pode comprometer no pagamento das prestações. Pense também em quanto tempo você gostaria de ter seu financiamento totalmente quitado.

Com tudo isso em mente, é hora de começar a fazer algumas simulações. Existem duas fontes para fazer um financiamento de carros usados:

Financiamento com banco

É um jeito tradicional e opção de muitas pessoas. Se você já possui vínculo com alguma instituição financeira, procure o gerente responsável pela sua conta e veja quais são as condições para fazer um financiamento para carros.

Você não precisa se limitar ao banco que você já tem conta. Praticamente todas as empresas bancárias disponibilizam simulações online, mesmo para quem ainda não é cliente. Faça diversos orçamentos e converse com as instituições que oferecem as propostas mais atrativas.

Ao fazer um financiamento com o banco, você solicita o valor referente a compra do carro e as prestações são calculadas de acordo com a sua renda disponível. Nesse caso, toda a negociação é feita entre você e o banco. Você recebe a quantia solicitada após a aprovação do financiamento e repassa para o vendedor do carro de seu interesse – pode ser tanto um vendedor particular como uma loja.

Daí para a frente você paga mensalmente as prestações do financiamento para o banco, enquanto o carro já está quitado com a loja ou vendedor.

Financiamento de carros usados direto com a concessionária

O processo é semelhante ao que os bancos realizam. Porém, como a compra e o financiamento são feitos direto com a concessionária, o percurso é um pouco mais curto, com menos etapas.

Há quem prefira essa forma de financiar carros pela agilidade na compra, uma vez que o negócio das concessionárias é totalmente voltado a esse ramo. Afinal, as instituições bancárias fazem diversos tipos de financiamento, levando a uma demora na análise e aprovação de crédito.

Também é possível fazer simulações online nos sites de concessionárias próximas de você, ou você pode ir pessoalmente conversar sobre as melhores opções.

Quem pode fazer um financiamento de carros usados?

Qualquer pessoa que consiga comprovar que pode se comprometer com o pagamento das parcelas pode fazer um financiamento. Inicialmente, você precisa comprovar que tem mais de 18 anos, que está com o nome limpo diante dos órgãos de análise de crédito e que possui renda fixa.

Após escolher o veículo desejado é feita uma da simulação para constatar se você consegue arcar com as prestações de acordo com a sua renda. Normalmente, só não ocorre a aprovação caso o financiamento comprometa mais de 30% dos seus ganhos mensais.

Os principais pontos que você deve considerar são o prazo máximo para pagamento, o valor das parcelas, a taxa de juros praticada e a confiança na instituição financeira escolhida.

Quando encontrar o financiamento ideal para o seu orçamento, o banco (ou a concessionária) irá pedir uma série de documentos para começar a análise de crédito. Prepare certidões como nascimento e casamento; RG e CPF; comprovantes de renda e declaração de imposto de renda; comprovante de residência atualizado.

Dá para financiar 100% do valor?

Mesmo que um carro usado seja mais barato que um veículo novo, nem todo mundo consegue guardar dinheiro para dar um valor de entrada. Portanto, fique atento, pois muitas empresas não financiam o valor total. Às vezes é preciso oferecer uma entrada entre 15% e 30%, por isso, é preciso se programar e pesquisar bastante.

Existe a possibilidade de financiar 100% do valor do automóvel com algumas instituições. No entanto, é feita uma análise bem rigorosa do histórico do comprador para que isso aconteça. Afinal, as empresas buscam garantias de que podem confiar no comprador.

Para conseguir ter o crédito aprovado é necessário ter uma pontuação elevada. Neste processo, são considerados fatores como atrasos no pagamento de contas (até mesmo das mais básicas como água e luz).

Quais os tipos de financiamento para carros usados?

Além do consórcio, que tem funcionamento diferente, é possível financiar através de duas modalidades:

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

Nesse caso, o consumidor faz um empréstimo com o banco para efetuar a compra do carro. O bem fica no CPF do comprador, porém, alienado ao banco até que todas as prestações sejam pagas. As taxas de juros aplicadas são relativas à quantidade de parcelas. 

Quanto mais prestações, mais altas ficam as taxas. Nessa opção não é possível vender o veículo enquanto ainda estiver pagando as prestações. A menos que você transfira a operação para o novo comprador do carro e ele assuma as parcelas restantes.

Leasing

Esse sistema oferece condições e taxas de juros melhores, porém o bem não fica no nome do comprador e sim no CNPJ da instituição financeira. Sendo assim, não existe a possibilidade de vender o automóvel durante o período do contrato. 

Também não há permissão para a antecipação de parcelas para adiantar a quitação da compra.

O CDC é a opção mais comum e são mais instituições financeiras que oferecem esse serviço. Entre as alternativas de financiamento de carros usados existentes, inclusive também há opção de consórcio de carros usados, uma alternativa para quem gosta de planejamento mas quer ter a chance de ser premiado o quanto antes. Clique no link para saber mais!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: