Início » Financiamento » Como funciona o financiamento de casas e opções pra você

Como funciona o financiamento de casas e opções pra você

um casal abraçado em frente a uma casa

É chegada a hora de dar um passo além e investir na casa própria, mas você não sabe nem por onde começar? Se você, como a maioria das pessoas, não possui economias para adquirir um bem de alto valor, é provável que a melhor alternativa seja o financiamento de casas.

Com essa opção, você comunica para o banco de sua preferência a quantia que irá precisar para comprar a casa desejada. Após o processo de aprovação de crédito e contrato, eles fazem o pagamento à vista para o vendedor do imóvel e você vai quitando sua dívida com a instituição através de parcelas mensais.

O processo de planejamento muitas vezes é lento, mas é importante que você pesquise bastante o imóvel que deseja comprar, analise as melhores taxas de juros do mercado e veja se esse formato cabe no seu orçamento a longo prazo.

Como funciona o financiamento de casas?

Como já falamos ali em cima, ao optar por um financiamento de casas você fecha um negócio com o banco. Então, se preferir, antes mesmo de começar a pesquisar por imóveis, entre em contato com diferentes bancos para considerar inúmeras propostas. Nesse primeiro momento, busque principalmente compreender as taxas de juros e se existem outras tarifas embutidas.

Você pode iniciar contatando a instituição financeira que você já tenha vínculo e também a Caixa Econômica Federal, um banco público que, normalmente, apresenta as melhores condições na compra da casa própria.

Depois você pode iniciar a busca por casas que se enquadrem nas suas exigências. Pesquise várias opções e vá anotando os preços. Quando souber qual a média de valores das propriedades que gostou, você pode fazer uma simulação, até mesmo online.

Ao saber quanto custa o imóvel, você pode simular as parcelas e também o valor de entrada que será necessário. Isso porque, a maioria dos financiamentos não cobre 100% do valor do bem, então você precisa estar preparado para pagar um valor de entrada, que pode variar entre 15% e 30%. Todos esses detalhes serão explicados pelo banco, pois serão relativos ao imóvel e à modalidade de financiamento que você contratar.

Existe também a opção de financiamento de casas através das construtoras, mas essa modalidade é mais comum para apartamentos, e costuma ter mais ênfase na venda de imóveis na planta. Se essa é uma alternativa que você gostaria de considerar, pesquise se existem condomínios de casas em construção na sua cidade.

Você pode conferir direto com as construtoras locais, analisando se os projetos disponíveis se adequam às suas necessidades e se eles oferecem a opção de financiamento próprio ou somente por banco.

Quem pode fazer o financiamento de casas?

Como você já deve imaginar, ao iniciar o processo com o banco você precisará passar por uma análise de crédito. Antes disso, são três os requisitos básicos para ser elegível a um financiamento de casas:

  1. Ter atingido a maioridade civil, ou seja, ser maior de 18 anos;
  2. Conseguir comprovar que possui renda;
  3. Não possuir nenhuma restrição de crédito junto do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e Serasa.

A partir desses requisitos e das simulações, você já pode ter uma ideia se um financiamento cabe no seu bolso nessa fase da sua vida.

Se você já for casado e a ideia é fazer o financiamento da casa a dois, as coisas ficam bem mais fáceis. Isso porque, na hora de fazer a simulação, é considerada a renda familiar e não somente o salário de uma pessoa. Assim, é bastante provável que seu crédito seja facilmente aprovado.

Outra facilidade na hora de planejar um financiamento surge para quem possui saldo de FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para utilizar. Talvez você não saiba quanto você tem acumulado nesse fundo, mas, se já trabalhou mais de 3 anos ao longo da vida, terá algum valor a ser aproveitado.

O bacana é que dá para usar o saldo do FGTS para quitar valores do financiamento ou para custear a porcentagem de entrada do imóvel. E aqui fica uma dica interessante: consulte os extratos de saldo do seu fundo e do seu cônjuge, caso tenha, e veja quem tem maior valor acumulado. Só é possível utilizar o FGTS de um dos dois, então aproveite para usufruir do maior saldo.

Qual a documentação necessária?

A parte de reunir a papelada pode ser um pouco estressante, mas se você se preparar com antecedência, tudo fica mais fácil.

Quando der entrada no financiamento da casa junto ao banco, eles irão solicitar uma lista de documentos pessoais. Lembre-se que se um casal comprar uma casa, os dois devem entregar a documentação necessária.

A lista é extensa porque são necessárias comprovações e checagens relativas ao comprador, vendedor e também ao imóvel. Cada banco pode exigir documentos específicos, mas estes são os que a maioria das instituições exige:

Do comprador

  • Documento oficial com foto (RG ou CNH);
  • CPF atualizado;
  • Comprovante de endereço;
  • Carteira de Trabalho;
  • Comprovante de estado civil (certidão de casamento ou certidão de nascimento para os solteiros);
  • Comprovante de renda através de holerites (para assalariados) e extratos bancários;
  • Declaração de Imposto de Renda do último ano;
  • Certidão de Débitos relativos a créditos tributários federais e à Dívida Ativa da União (emissão feita pela Receita Federal);
  • Extrato de FGTS (para quem deseja usar o saldo de FGTS na compra);

Do vendedor

  • Documento oficial com foto (RG ou CNH);
  • CPF;
  • Declaração de atividade profissional;
  • Certidão de Débitos relativos a créditos tributários federais e à Dívida Ativa da União (emissão feita pela Receita Federal);

Do imóvel

  • Certidão atualizada do registro do imóvel;
  • Declaração de quitação de obrigações condominiais (para casas em condomínios);
  • Certidão de ônus reais;
  • Certidão de quitação fiscal e guias de IPTU pagas.

Depois da entrega da documentação, o banco envia um profissional para fazer uma vistoria na casa. O intuito é avaliar as condições do imóvel e se o valor é compatível com a quantia solicitada no financiamento. O processo todo pode levar alguns meses, mas você vai ver que, no final, vale a pena. 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como funciona o  financiamento de casas, se organize e procure as melhores opções, afinal, você estará dando um passo rumo a um dos maiores projetos da sua vida!

Quer saber mais opções para conquistar sua casa? Conheça também o que é um consórcio e considere essa possibilidade para a aquisição do seu imóvel!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.