Início » Gestão Financeira » Como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro

Como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro

homem dentro de casa sentado frente à uma mesa e com uma estante ao fundo

Ao pensar em investimentos, muitas pessoas acreditam que esse tipo de negócio é para grandes empresários ou acionistas. Com as mudanças do mundo, investir nunca se tornou tão fácil e hoje é possível aprender como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro.

Os processos de investimentos vêm se tornando cada vez mais democráticos, sendo acessíveis para diversas pessoas que podem não ter tanto dinheiro disponível para investir, mas que querem começar a atuar no mercado de ações.

Posso começar a investir com pouco dinheiro?

A crença de que para começar a investir precisa de muito dinheiro, aos poucos, vem caindo por terra. Então, queremos te informar que sim, é possível investir na bolsa de valores mesmo com pouco dinheiro!

A B3, a bolsa de valores brasileira, conta com diversas opções de ativos que podem ser mais acessíveis para quem não tem tanto capital disponível. O investimento na bolsa possui algumas vantagens como:

  • Os investimentos possuem alta liquidez;
  • Você pode comprar ações de grandes empresas;
  • Os investimentos da bolsa de valores possuem mais lucros quando comparados aos investimentos de renda fixa;
  • Dentro da bolsa, existem diversas possibilidades de investimento.

Para evitar cometer erros graves, é importante que você saiba de algumas informações antes de começar a investir. Uma das maiores recomendações aos novos investidores é pesquisar e aprender sobre o mercado, se informando sobre a situação econômica mundial, quais as melhores escolhas e qual o seu perfil de investidor.

Cada perfil possui uma característica mais forte e que influencia no tipo de investimento que você vai escolher. Os perfis são definidos por algumas particularidades como:

  • Quantidade de risco que o investidor está disposto a correr;
  • Quais ações ele quer investir;
  • Saber se os investimentos são de longo ou curto prazo; entre outros

Essa análise ajudará a entender qual sua forma de pensar, conseguindo alinhar suas metas com os atributos que compõem o seu perfil de investidor.

Quais investimentos valem a pena?

Alguns investimentos não exigem valores tão altos, por isso, vamos te mostrar algumas opções de investimentos que cabem no seu bolso:

Fundos de investimento

Para quem está querendo começar a trilhar um caminho na bolsa de valores, os fundos de investimento são uma ótima escolha. Você pode adquirir quantas cotas quiser e, junto com outros investidores, começa a receber os lucros gerados pelo fundo. Algumas cotas podem custar a partir de R$100.

Toda a gestão desse procedimento é feita por um profissional, o que traz mais confiança nas negociações. Antes de investir em um fundo, fique de olho na taxa de administração, que é o valor a ser pago para o gestor, pois caso esse valor seja alto, pode atrapalhar seus rendimentos.

São diversos tipos de fundos de investimento que podem estar indexados a outras taxas e ações, por isso, pesquise bem e escolha o melhor fundo para investir.

Títulos públicos

Os títulos públicos funcionam como um empréstimo que você faz com o governo, ou seja, ao investir você está ajudando a financiar obras do governo. Esse valor é somado com taxas e juros e é devolvido em um prazo estipulado. 

No tesouro direto, existem alguns tipos de ativos que variam a sua forma de rendimento, mas que são ótimas opções para quem está com pouco dinheiro e quer começar a investir. Por exemplo, o valor mínimo de investimento está de R$30 a R$100, variando pelo título.

Ações

Algumas ações da bolsa de valores conseguem ser mais baratas e podem receber investimentos menores. Por exemplo, é possível encontrar ações que custam menos de R$1. O único problema é que as ações são muito voláteis, ou seja, o mercado pode sofrer alterações em poucos minutos.

Por menor que seja o investimento, uma dica para evitar perder dinheiro é estudar o mercado, entender quais suas tendências e procurar ações que realmente compensem seu investimento. Afinal, você não precisa perder dinheiro para saber investir, se informar no assunto é uma das melhores opções antes de sofrer grandes danos.

Onde abrir uma conta para investir na bolsa de valores com pouco dinheiro?

Atualmente, você consegue encontrar diversas corretoras online que conseguem se adaptar ao seu planejamento de investidor. Para começar a investir na bolsa com pouco dinheiro, siga os seguintes passos:

  • Pesquise e encontre uma corretora de sua confiança;
  • Abra uma conta;
  • Após sua conta ter sido criada, transfira o dinheiro que está destinado para iniciar seus investimentos;
  • Acesse a plataforma da corretora, acesse a aba “Home Broker” e encontre as ações de diversas empresas e outros ativos.

Conhecer sobre as ações é sempre uma escolha importante, principalmente se você quer investir na bolsa com pouco dinheiro. Planeje, estruture, compare e pesquise sobre o mercado, isso evita que você perca seu investimento e garanta segurança em suas escolhas.

Na hora de investir, lembre-se de realizar as negociações durante o horário de funcionamento da B3, das 9h às 18h.

Como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro: conclusão

Deu para perceber que a bolsa é super democrática e pode ser de grande ajuda para quem quer investir, mas está com poucos recursos. O ideal é criar um planejamento confortável para traçar metas e objetivos plausíveis respeitando seu perfil de investidor e quanto do seu orçamento está disponível para seus investimentos.

O fundo de investimento, os títulos públicos e as próprias ações são boas alternativas para entrar nesse mercado sem correr muitos riscos. Não existem valores mínimos, ou seja, mesmo com pouco dinheiro é possível investir na bolsa de valores e conseguir retornos consideráveis.

Ainda ficou com dúvida sobre como investir na bolsa de valores com pouco dinheiro? Deixe nos comentários!

nv-author-image

Rebeca Müller

Rebeca Müller é formada em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especializada em Finanças pelo Instituto Coppead de Administração da UFRJ. Depois de 11 anos atuando diretamente com Planejamento Financeiro e Orçamentário em empresas privadas e órgãos públicos, Rebeca descobriu uma nova vocação: comunicação. Hoje, ela escreve para a Zelas Finanças, e seu conteúdo conta com a rica bagagem que acumulou ao longo de sua trajetória no mercado financeiro.

Marcações: