Serasa: saiba como surgiu, quando, onde e por quem foi criado o SERASA

Serasa

Primeiramente, vamos explicar o que esta empresa realiza: o Serasa é uma empresa privada, criada por bancos e instituições financeiras, que reúne informações sobre pessoas físicas e jurídicas. Isso permite que bancos e lojas que vendem a credito possam saber mais sobre determinado cliente. Muitos confundem esta empresa com o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), que de fato possui a mesma função, porém é uma instituição pública.

Mesmo sendo uma empresa privada, o Serasa não possui o objetivo de lucro, mas sim informativo. De forma resumida, ela e o SPC fornecem uma gama de informações sobre quem está com as suas contas atrasadas em e quem não está. Entretanto, mesmo sendo muito parecidas, elas possuem algumas diferenças. Confira neste artigo como o Serasa se desenvolveu ao longo dos anos:

Como surgiu o Serasa?

A empresa é o resultado de uma parceria entre a Associação dos Bancos do Estado de São Paulo (Assobesp) e a Federação Brasileira das Assessorias de Bancos (Febraban), em 1968, fundada na cidade de São Paulo. Na realidade, o termo Serasa significa “Serviços de Assessoria S.A”.  

Quem desenvolveu a ideia foi o então consultor-geral da Febraban, Geraldo de Camargo Vidigal, com o projeto de realizar uma ação cooperada entre os bancos, com o intuito de padronizar relatórios, desenvolvendo assim, uma ficha cadastral única, que por sua vez, proporcionava mais rapidez das decisões bancárias e também um melhor controle no sistema financeiro.

Evolução do Serasa ao longo do tempo

Ainda em 1968, a empresa iniciou os trabalhos com quase 50 funcionários. Ganhando estrutura aos poucos, em dez anos, o Serasa já contava com 600 funcionários. Este crescimento se deve ao êxito de implantar os sistemas de padronização, análise de balanço, apontamento dos riscos com antecedência (classificados como baixo, médio e alto) e a coleta de negativos públicos.

Em um período, que se estendeu de 1978 até 1990, começou na empresa, o processo de informatização dos dados, com máquinas de grande porte. Os serviços oferecidos eram a Ficha Cadastral e a Consulta à Central de restrições. Nesta época, o serviço era direcionado aos bancos, o que não impediu que eles tivessem algumas empresas, de ramos diferentes, como seus clientes, mesmo sendo um número pequeno.

No início de 1990 , ao terminar essa adaptação à tecnologia da época, o Serasa expandiu de vez suas áreas de atuação. Ao migrar suas Tecnologias de Crédito e de Gestão para a Tecnologia da Informação, tal atitude foi considerada uma ideia inovadora. Com o novo sistema mostrando resultados ao longo dos anos, a empresa irlandesa Experian, que também fazia coleta dados, acabou desenvolvendo interesse pelo Serasa.

Nova era da Serasa:

Em 2007, a Experian adquiriu a Serasa. Com isso, os nomes de ambas se juntaram, tornando-se assim, Serasa Experian. Tal aquisição apenas fortaleceu o posto de líder mundial em serviços de informação da empresa irlandesa. Além dos serviços já prestados anteriormente, foram adicionados o direcionamento nas campanhas de marketing e automatização no processo de tomada de decisão.

Outras funções desenvolvidas com o tempo foram o apoio a pessoas físicas para verificação de scores de crédito e a proteção a fraudes de identidade. No ano de 2015, a Serasa foi considerada pela revista Forbes (revista norte-americana tida como referência em Finanças), uma das empresas mais inovadoras do mundo. A Serasa Experian está registrada na Bolsa de Valores de Londres (EXPN).

Resultados conquistados

Sua receita total é de aproximadamente US$ 4,8 bilhões e emprega cerca de 17.000 pessoas, em 37 países. Sua sede cooperativa é em Dublin, mas também possui sedes operacionais em Nottingham, no Reino Unido, na Califórnia, nos Estados Unidos e em São Paulo. Nos seus arquivos, há mais de 161 milhões de CPF’s, nove milhões de CNPJ’s e dados de 210 mil grupos.

Serviços prestados

Além dos serviços já mencionados anteriormente, o Serasa possui também outra gama de funções:

Consulta ao próprio CPF

Veja abaixo como consultar seu CPF online através do Seresa Consumidor. É muito simples e fácil.

Se desde seu início, o Serasa já mostrava para terceiros, os dados bancários de pessoas tanto físicas quanto jurídicas, também não poderia faltar o contrário. O possível comprador, antes de adquirir algo, verifica se o seu nome está “sujo”, assim como também saber qual foi a empresa responsável pela inserção de sua dívida no cadastro.

Renegociação de dívidas

Ferramenta usada para “limpar” o nome, como se fala popularmente. Esta é uma ferramenta onde o próprio cliente contata a empresa na qual possui a dívida e a renegocia.

Cadastro positivo

Caso algum comprador não possua histórico de dívidas, ele pode se cadastrar no Serasa como um “bom pagador”.

Score positivo

Para busca o status de “bom pagador”, seu score precisa ser positivo. Essa pontuação determina quais são as pessoas que terão mais chances de ter crédito aprovado, caso queira fazer um empréstimo. Você pode verificar o seu score gratuitamente, no próprio site da Serasa, precisando apenas de seu CPF para realizar a consulta.

A pontuação varia de 0 até 1000 com a seguinte classificação: de 0 até 299 é considerado risco alto; de 300 até 699 é considerado risco médio e acima de 700 é considerado risco baixo. Obviamente, quanto mais “pontual” a pessoa é com suas contas, mais conceituado no cadastro ele fica.