Início » O que é rentabilidade e como calcular?

O que é rentabilidade e como calcular?

Quando se fala em rentabilidade, surgem diversas dúvidas, principalmente em relação às aplicações do seu dinheiro. Para ter sucesso nos investimentos, é muito importante entender esse conceito para aprender a identificar as melhores oportunidades do mercado. E, então, você sabe o que é rentabilidade?

No artigo de hoje vamos abordar todas as questões sobre o tema e desvendar detalhes de tudo que envolve rentabilidade. Veja a seguir os tópicos que vamos tratar aqui:

  • O que é rentabilidade?
    • O que avaliar antes de investir?
  • Qual a diferença entre rentabilidade e lucratividade?
    • Rentabilidade x Lucratividade
  • Qual a diferença entre rentabilidade e rendimento?
    • Como é feito o cálculo da rentabilidade do investimento?
    • Taxas na Rentabilidade
  • Quais são os tipos de rentabilidade?
    • Rentabilidade na Renda Fixa
    • Rentabilidade na Poupança
    • Rentabilidade no Tesouro Direto

O que é rentabilidade?

A rentabilidade pode ser explicada de forma simples: o percentual de remuneração que é obtido conforme o investimento feito. Em outras palavras, é a quantia que o usuário vai ter de retorno em uma aplicação. Por exemplo, se você investiu R$100 e ao final da aplicação você resgatou R$150, significa que sua rentabilidade é de 50%.

Neste caso, a rentabilidade pode ajudar a definir qual investimento é mais adequado às suas necessidades. Antes de realizar qualquer investimento, é preciso conferir estas informações e planejar quanto você poderá economizar para investir, e qual quantia espera receber.

Sem o planejamento adequado existe a chance de faltar dinheiro para realizar as aplicações, ou o risco da rentabilidade ser muito menor do que a esperada. Entenda a seguir os principais conceitos a avaliar antes da decisão.

O que avaliar antes de investir?

Antes de decidir o melhor investimento é preciso fazer uma comparação para saber qual a melhor oportunidade. Na hora de analisar os benefícios, algumas características podem ajudar, como o tripé dos investimentos que são:

  1. rentabilidade: quanto o dinheiro do investimento vai gerar. Varia de acordo com o percentual dos juros prefixado, índice financeiro ou pelas flutuações da economia;
  2. liquidez: tempo necessário para que o dinheiro fique disponível para resgate. Existem casos que certos investimentos possuem uma liquidez diária, porém, a maior parte leva mais tempo para permitir o saque; 
  3. risco: toda aplicação possui um risco, algumas menos e outras maiores que as outras. O risco pode estar atrelado a fatores macroeconômicos ou restritos à instituição financeira que opera a aplicação.

Qual a diferença entre rentabilidade e lucratividade?

Muitas pessoas confundem o que é rentabilidade com lucratividade. Se essa também é sua dúvida, confira agora as principais diferenças entre os conceitos.

Rentabilidade × Lucratividade

Para explicar de forma fácil é preciso entender que a rentabilidade funciona como o retorno do seu investimento, ao passo que a lucratividade segue como um ganho excedente de uma atividade. Ela indica se o negócio está justificando a operação e se cobre os custos e as despesas, e, portanto, se podem gerar lucro.

Para o acompanhamento dos resultados, a análise de ambas é indispensável. Elas refletem o panorama financeiro do investimento realizado, e permitem planejar melhorias e expansões na estratégia.

Qual a diferença entre rentabilidade e rendimento?

Para que um investimento traga retorno, é necessário seguir com disciplina. Quanto mais tempo o dinheiro permanecer intacto e aplicado, maior tende a ser os rendimentos gerados (valor em dinheiro) e, consequentemente, a taxa de rentabilidade final da operação (em %).

Conheça a seguir os principais os principais tipos de rendimento a analisar:

  • rendimento bruto: nas aplicações financeiras, significa todos os ganhos sem o desconto no Imposto de Renda;
  • rendimento líquido: nas aplicações são os ganhos depois do desconto do Imposto de Renda;
  • rendimento nominal: os ganhos adquiridos em uma operação sem ter as perdas devido à inflação;
  • rendimento real: são todos ganhos com os descontos sobre a inflação.
Como é feito o cálculo da rentabilidade do investimento?

A fórumla para calcular a rentabilidade é:

Rentabilidade = [(Rendimento Bruto – Impostos, taxas e inflação) × 100] ÷ Valor Investido.

Veja no próximo tópico quais são as taxas e impostos que devem ser considerados no cálculo da rentabilidade.

Taxas que impactam na rentabilidade

Taxas bancárias

As taxas bancárias são os valores que os bancos cobram para administrar o investimento em carteira. Porém, fique atento: algumas instituições oferecem modalidades de investimento que não possuem taxas administrativas. As opções englobam os bancos de investimento e corretoras.

Impostos

Por aqui, no Brasil, a maior parte das atividades financeiras cobram impostos. No entanto, a alíquota cobrada para pessoas física ou jurídicas costumam ser diferentes. Em geral o imposto para a pessoa física menor.

Impostos sobre renda fixa

Entre os tributos mais comuns que incidem sobre investimentos de renda fixa temos: imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e o Imposto de Renda (IR). O período de resgate é importante, pois a cobrança em geral é maior para aplicações de períodos mais curtos.

O IOF é cobrado somente no resgate do dinheiro antes dos 30 dias. Esta cobrança sempre é proporcional, a alíquota vai de 96% para resgate em 1 dia, até 3% para 29 dias. Já o IR incide na maior parte das modalidades de investimento, começando em 22,5% para resgates em até 180 dias, até 15% para resgates acima de 720 dias.

Quais são as opções de investimento com IOF para pessoa física?

Dentre as opções de investimento mais comuns, os seguintes cobram IOF:

  • Fundo de investimento curto (renda fixa, multimercados e cambiais);
  • Fundos de investimento de longo prazo (renda fixa, multimercados e cambiais);
  • Clubes de investimento;
  • Títulos públicos;
  • Certificados de Depósito Bancário (CDBs);
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCIs);
  • Letras Hipotecárias (LH).
Quais são as opções de investimento sem IOF para pessoa física?

Dentre as opções de investimento mais comuns, os seguintes são isentos de IOF:

  • Ações;
  • Fundos de ações;
  • Debêntures (títulos de renda fixa emitidos por empresas);
  • Certificados de direitos creditórios do agronegócio (CDCA);
  • Certificados de recebíveis do agronegócio (CRA);
  • Certificados de recebíveis imobiliários (CRI);
  • Letras financeiras (LF);
  • Letras de crédito do agronegócio (LCA);
  • Certificado de depósito agropecuário (CDA);
  • Warrant agropecuário (WA);
  • Cédula de produto rural (CPR).

Tipos de rentabilidade

Rentabilidade na renda fixa

Renda fixa

A renda fixa é bastante procurada é pode ser útil para quem quer investir e ter ganhos maiores que a poupança, sem perder a segurança por um tempo maior. A seguir veja as modalidades principais.

Taxa prefixada

Para a compra de um título com este rendimento, é possível saber a rentabilidade antes de realizar o investimento. Normalmente possui uma porcentagem fixa do valor aplicado.

Taxa pós-fixada

A rentabilidade tem o indicador econômico quando é feito o investimento. A taxa Selic, por exemplo, é muito usada como referência para saber os rendimentos dos títulos pós-fixados.

Taxa híbrida

É o misto da prefixada e da pós fixada, portanto, você aplica o dinheiro no título que tem uma parte do rendimento fixado quando é feita a aquisição e o outro na parte vinculada com o indicador da economia. Normalmente é usado o IPCA que mede a inflação durante o período que o dinheiro ficou aplicado.

Qual é a rentabilidade do Tesouro Direto?

O cálculo da taxa de rentabilidade da aplicação no Tesouro Direito vai depender do tipo de título escolhido. Veja as opções abaixo:

  • Tesouro Selic: sua rentabilidade varia de acordo com a oscilação da taxa Selic;
  • Tesouro prefixado: a rentabilidade deste título é conhecida antes mesmo do investimento ser realizado, existe ainda a opção de receber os juros semestralmente ou apenas no momento do resgate final;
  • Tesouro IPCA: possui uma rentabilidade híbrida, sendo a parte variável atrelada ao IPCA. O investidor pode receber juros semestrais ou apenas no vencimento do título.

Conclusão

Agora que você entendeu o que é rentabilidade, quais os principais conceitos e pontos a analisar em cada investimento, esperamos ter ajudado a tomar a melhor decisão. De qualquer modo, ter uma carteira de investimentos diversificada é a melhor estratégia para reduzir os riscos associados a qualquer espécie de aplicação escolhida.

Continue navegando por nosso conteúdo para aprender mais sobre o universo das finanças e compartilhe nos comentários se tiver mais alguma dúvida!